Amigos

Professora de Artes Plásticas formada na Universidade Mackenzie ,que sente, ama e cria Artes.

Minha foto

Artista plástica e professora na rede municipal de São Paulo.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

FANTASIAS EM BAIXA

Com aluguel de fantasias em baixa, comerciantes apostam em acessórios

Do G1 PI

Aluguel de fantasias tem baixa procura para carnaval 2017.
Comerciantes já falam em perdas de 20% se comparado com ano passado.
Lojas de aluguel de fantasias em Teresina já estão com estoques prontos para o Corso e Carnaval. Apesar dos preparativos, a procura pelas fantasias tem sido baixa e os comerciantes apostam na venda de acessórios para alavancar os empreendimentos.

Aureni Oliveira é proprietária de duas lojas no centro da capital. Em uma são comercializadas fantasias completas e na outra acessórios que podem ser usados na composição de uma fantasia. Para a empresária, o movimento das lojas melhorou um pouco nos últimos dias. No entanto, a procura continua abaixo do esperado para o período.
“Em 2016, as vendas e aluguel foram bons mesmo com a crise. O aluguel de fantasia já caiu 20% se comparado com mesmo período do ano passado. As pessoas estão preferindo comprar os acessórios a alugar uma peça completa”, lamentou.

Os comerciantes estão esperançosos e confiantes de que na véspera do Corso o número de aluguel de fantasias irá aumentar.
Empresário aposta em festa infantis para aumentar vendas (Foto: João Cunha/G1)Empresário aposta em festa infantis para
aumentar vendas (Foto: João Cunha/G1)
Carlos Edson é outro empresário do ramo e afirma que as vendas já deveriam ter crescimento. Agora, ela aposta nas fantasias para matines infantis. 

“Se não aumentar com Corso, acreditamos que com as festas infantis e matines conseguiremos aumentar nosso faturamento, pois por enquanto, só as máscaras, buzinas estão entre os itens mais adquiridos pelos foliões", destacou o empresário que também trabalha no centro de Teresina.
Entre os clientes o clima é de contenção de despesas diante o cenário adverso da economia, que se prolonga desde 2016. A economia é realizada principalmente na substituição do aluguel ou compra da fantasia completa pela compra de acessórios para compor a própria fantasia.
Estudante alugou fantasia para curtir Corso em Teresina (Foto: João Cunha/G1)Estudante alugou fantasia para curtir Corso em Teresina (Foto: João Cunha/G1)









A vendedora Francisca Alves estava em uma das lojas e comentou que vai investir o pouco dinheiro na aquisição dos acessórios. Já a estudante Daiane Micaela esteve em uma das lojas garantindo sua fantasia. “Sempre usava apenas um acessório no Corso e neste ano aluguei uma fantasia para curtir  a festa em grande estilo”, afirmou.

Postar um comentário